sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Pq Nacional da Serra do Cipó - notícia triste ...

Compramos cactos, suculentas e outras plantas, e na maioria das vezes não conhecemos a origem. A coleta indiscriminada e acidentes(propositais ou não, como queimadas) podem mudar o ambiente, e perdemos grandes acervos biológicos: cactos, suculentas, orquídeas, insetos(apesar de não ser meus preferidos ... rsss mas fazem parte do sistema), animais, ... e seremos atingidos pela mudança de ambiente natural, aliás já estamos sendo atingidos.

Como equilibrar a economia e o meio ambiente? A defesa do meio ambiente não está somente nas leis q são votadas, e sim no que cada um de nós podemos fazer. Um acidente acontece, mas não estamos prontos para evitar um mal maior ... na verdade nem vemos o q aconteceu ... é apenas uma nota pequena em algum jornal pequeno ...

Multas, desapropriações, mata ciliar, reposição ambiental, ... são apenas palavras soltas no nosso dia a dia, que na maioria das vezes não faz parte da educação escolar regular. Não temos como acabar com a agricultura familiar, multar sem o devido estudo, ... então qual a saída?!
Acredito mais no investimento da educação e pesquisa, para que no futuro(espero q breve) possamos ter ações imediatas sem punir a economia rural. Escuto sempre ... a cidade q vive ao lado das APAs são punidas economicamente por ser uma área de preservação ... enqto deveria ser o contrário: deveríamos ter um apoio técnico(educação e pesquisa) para aplicações práticas, pois os simples moradores são as primeiras ferramentas para evitar "acidentes" - desta vez entre aspas, pois isso acontece pela falta de informação e investimento.

Espero não escrever muitas notícias tristes neste blog ... e sim mostrar fotos e textos de como são, onde ainda estão preservados,e existe a possibilidade de estudo e desenvolvimento de planos de proteção.

Abaixo fotos do ocorrido no Parque Nacional da Serra do Cipó e palavras de um profissional da área e um depoimento do ocorrido que não deve ser ignorado ...



Antes_2010_07_18 094_min


2012_10_14_Cipo_incendio_Parque 030_min

Depois_2012_10_14_Cipo_incendio_Parque 028_min

Incendio_6_13_10_2012_DSC01690_det_min



Colegas:

O grande incêndio que destruiu cerca de 8.000 hectares do Parque Nacional da Serra do Cipó, no centro de Minas Gerais, atingiu fortemente algumas áreas que apresentam sub-populações significativas de Arthrocereus odorus, espécie de Cactaceae muito justamente arrolada na lista federal de espécies ameaçadas de extinção.

Algumas dessas populações haviam sido estudadas (fitossociologia e Ecologia) em 2011 por nosso colega Felipe Sbrissa, de São Paulo.
     Essa espécie ocorre apenas em algumas dezenas de quilômetros quadrados na Serra do Cipó, sendo naturalmente rara.

Vejam as fotos das mesmas plantas, antes e depois do incêndio. Os cactos queimados já estavam com botões (foto).
     A terceira foto mostra área queimada de cerrado rupestre denso com grande população de Arthrocereus atingida.

O desastre provou que o Parque Nacional, e todas as outras unidades de conservação brasileirasnão estão preparadas para grandes incêndios, estando à mercê de atos criminosos e acidentes naturais.
     As perdas de campos, cerrados, matas ciliares e campos rupestres foram muito sérias, em alguns casos atrasando-se em dezenas de anos a recuperação de áreas que há muitos anos não conheciam fogo.

Celso
 
___________________________________________

Celso do Lago Paiva Pesquisador de:
- invasões biológicas em ecossistemas naturais
- conservação de plantas nativas in situ ex situ- ecologia de áreas úmidas e de vegetação sobre calcario
Ananas e PseudananasAcrocomiaSelenicereusCereus e Monvillea

- Botânica Econômica Analista Ambiental  ICMBio/ Ministério do Meio Ambiente
    Parque Nacional da Serra do Cipó MG

    celso.lago@icmbio.gov.br

Diretoria de Conservação
    Instituto Pró-Endêmicas    instituto_proendemicas@hotmail.com

celsodolago@hotmail.com
 
Skype celsodolago

Curvelo e Santana do Riacho
Minas Gerais, Brasil

Você pode gostar destas publicações

Faça seu site aparecer! Anuncie!